Québec, lá vou eu!

Em busca de um sonho.

segunda-feira, junho 04, 2007

Alberta e seus problemas.



Olá a todos, este fim de semana estava lendo um forum do qual participo e vi essa noticia, ai muitos perguntam e ai, eu quero ir para o Québec, na verdade o que eu quero mostrar é o que acontece quando uma região/cidade/país tem um crescimento muito rapido populacionalmente (deve lembrar o caso de São Paulo e muitas outras cidades brasileiras).

A matéria em questão foi publicada pelo Edmonton Sun, um importante jornal da capital de Alberta, e essa é uma das dezenas de matérias que vem sendo publicadas sobre a situação de desespero e sofrimento vivida pelos migrantes e imigrantes que chegam a Alberta sem ter onde ficar e um emprego que pague muito bem, pois o custo de vida da de algumas cidades da provincia estão entre os mais altos do Canadá.

A provincia que desde a década de 1970 vem recebendo muito migrantes (que vem de outras provincias) e imigrantes (de fora do Canadá) e precisa de mais trabalhadores vive uma crise de habitações e mão-de-obra o que acaba fazendo com quem ganha um salário baixo e até mediano se ve sem ter onde morar e acaba virando morador de rua o que acaba levando a mais problemas, sem contar os altos preços de serviços e produtos que exigem trabalho de pessoas.

A cidade de Fort McMurray à nordeste de Edmonton, proximo a divisa com a provincia de Saskatchewan, que é um dos principais polos da extração de petróleo do Canadá ganhou o titulo de "Cidade rica mais pobre do mundo", pois pessoas com trabalho se vem morando em favelas, favelas sim de papelão e tendo que suportar temperaturas de até -30ºC, pois não existem moradias ou as que existem são muito caras.

Bom com tudo isso, provincias como Saskathewan, Nova Scotia, New Brunswick e Québec, princiais fontes de migrantes para Alberta hoje se vem ao contrario recebendo de volta alguns dos migrantes que tinham ido em busca do "eldorado".

Bom desculpem o texto longo, mas quis coloca-los dentro do contexto atual da migração e imigração para a provincia de Alberta, e agora vamos a noticia, que tem como titulo "Migrants, stay away!" - Migrantes fiquem longe. e ainda segundo as palavras da Ministra do Emprogo e Imigração da Provincia, Iris Evans, "eastern creeps and bums" no qual estern se refere as pessoas da provincia a leste de Alberta e "Creep and Bums" lesmas e vagabundos.

Noticia em Inglês
------------------------------

Migrants, stay away!
Don't come to Alberta unless you have a job, place to stay


By JEREMY LOOME, LEGISLATURE BUREAU - May 30, 2007

The Edmonton Sun

It wasn't exactly a verbal assault on "eastern creeps and bums" but the intent was the same: If you don't have a job and somewhere to live when you arrive, Alberta doesn't want you here, Employment and Immigration Minister Iris Evans said yesterday.

"I think it's prudent before you come here to find out whether or not you have a job and a place to live," she said. "And we're going to try to provide people offshore particularly with that kind of advice so that they don't come with unrealistic expectations."

It was the same "stay away" message conveyed nearly 20 years ago by then-Calgary mayor Ralph Klein, who blamed an increase in urban crime on "creeps and bums" arriving from Eastern Canada ... albeit with a much different tone.

"I think that everybody in Alberta recognizes there are issues we are tackling, whether it's managing the labour force shortages, managing housing," said Evans.

Evans's warning came as Finance Minister Lyle Oberg pondered tax incentives for developers to get more affordable housing built.

However, Oberg said the complications of market intrusion make such an initiative dicey. He cited the former federal multiple unit residential buildings program, which led to some 196,000 new rental units but almost bankrupted the housing industry.

"In saying that I think there are lessons to be learned and we can do better," Oberg said.

"We want to get more doors on the market, more rental units on the market, to give the renter more choices where to live. How we can do that as a government is very difficult.

"When it comes to tax incentives, my department will take a look at anything that's reasonable, and in fact for this year's budget we will be looking very seriously at tax incentives, at tax cuts and at the taxation issue from all different angles."

Evans noted the government has doled out more than $300,000 in just the last few days for emergency assistance. But all that does is subsidize landlords who gouge and encourages more to do so, critics said in renewing their call for temporary rent caps.

And some of the provincial support programs simply don't help, noted Calgary Varsity Grit MLA Harry Chase, because they're based on needs testing that has more to do with socio-economic status than handling a 50% month-to-month rent hike.

"Clearly something is very wrong with this situation," said Chase.

"Why does the minister continue to suggest calling these help lines and programs when they are completely inadequate for those affected?"

Evans said her department will work with any individual facing an eviction crisis through Service Alberta's 59 provincial offices.

"If people have received an eviction notice or have any kind of income-support problems, that they should visit or contact our office," said Evans.

Marcadores: ,

5 Comments:

  • At 06 junho, 2007 00:39, Anonymous Luiz said…

    Oi Fabio,
    Por mais esses motivos, é melhor optar pela Provincia do Quebéc. Inclusive, tenho um amigo québécois que mudou para Edmonton para tentar ganhar mais $$, mas se arrependeu devido a esses fatores que vc bem comentou no post. Ele voltou pra Montréal depois de 4 meses. Lembra da história da febre do "ouro" americano, onde muitos migraram em busca de ouro, e descobriram que era tudo furada. Pois é, Alberta é mais ou menos assim.

     
  • At 06 junho, 2007 21:22, Anonymous Daniel said…

    Já li sobre isso várias vezes...o problemas da província é o crscimento rápido demais. Os problemas se estendem além das moradias e dos empregos, e chegam até hospitais e condições sanitárias...

    Complicado mesmo...

    Daniel

     
  • At 07 junho, 2007 02:54, Blogger **Dani** said…

    Qualquer crescimento desenfreado gera problema, nao adianta. A gente tem como exemplo no Brasil as fases da extracao de minerais (MG) e de seringais (Norte). Todos lugares do mundo tem problemas, nao adianta achar que tudo eh perfeito!

    Bjus, Fabio

     
  • At 07 junho, 2007 15:12, Anonymous Valéria Piceda said…

    É Fábio, realmente é um ítem a menos para termos que nos preocupar! Obrigada! Ah! Vou falar para o Patrick dar uma olhada na questão das mensagens! Beijo!

     
  • At 07 junho, 2007 15:31, Blogger Ri & Ro - Rumo ao Quebec said…

    Fabio,

    Legal a postagem, é sempre bom saber de coisas positivas e negativas.
    Muito válido o post, muito mesmo.

    Agora só pra te deixar a parte, conseguimos finalmente os novos passaportes, pois é, agora a coisa está se tornando real, saindo da prancheta...dá um frio da barriga!rsrs

    Como um amigo disse uma vez, nós agora nos tornamos "barrigas geladas", acho que realmente essa é uma boa definição.

    Agora vamos partir para outra etapa de "sofrimento", depois que enviarmos toda a documentação à Buenos Aires, vem a angústia de aguardar a resposta deles... mas faz parte não é mesmo?

    Bom meu amigo, nós lhe deixaremos a par das novidades, ok?

    Super abraço e até mais,

    Ricardo e Rosangela

     

Postar um comentário

<< Home

 
Free Counter
Free Counter